DESTAQUE 13 de maio: Dia de Santa Maria Domingas Mazzarello

O Século Seguinte à Lei Áurea: uma visão do “13 de maio” para o vestibular
13/05/2016
CCJMT e Família Salesiana participam de missa em homenagem à Me. Mazzarello
13/05/2016

No dia 13 de maio, a Igreja celebra a Santa Maria Domingas Mazzarello, conhecida entre os salesianos como Madre Mazzarelo, ao lado de Dom Bosco, fundadora do Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora.

Maria Mazzarello nasceu no dia 9 de maio de 1837, em Mornese (Alessandria), na Itália. Na família foi formada numa piedade sólida, numa laboriosidade incansável e grande senso prático e profundidade de discernimento que manifestou depois, também como superiora.

Aos 15 anos, inscreveu-se na Associação das Filhas de Maria Imaculada e se abriu para o apostolado em meio às meninas do lugar. A grave doença do tifo, contraída aos 23 anos, teve nela uma forte ressonância espiritual: se, por um lado, a experiência da fragilidade física tornou mais profundo o seu abandono em Deus, por outro lado a impeliu a abrir uma oficina de costura para ensinar às meninas o trabalho, a oração e o amor de Deus.

Graças à intensa participação aos sacramentos e sob a direção sábia e iluminada do Padre Pestarino, fez grandes progressos na vida espiritual. Por ocasião da visita de Dom Bosco a Mornese (08-10-1864) ela disse: “Dom Bosco é um Santo, e eu sinto isso!“.

Em 1872, Dom Bosco escolheu-a para dar início ao Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora.

Como superiora, revelou-se hábil formadora e mestra de vida espiritual; tinha o carisma da alegria serena e tranquilizadora, irradiando contentamento e atraindo outras jovens para se dedicarem à educação da mulher.

O Instituto progrediu rapidamente. Ao morrer, ela deixou às suas filhas uma tradição educativa toda permeada de valores evangélicos: a busca de Deus conhecido através de uma catequese esclarecida e de um amor ardente, a responsabilidade no trabalho, a franqueza e a humildade, a austeridade de vida e a alegre doação de si.

Morreu em Nizza Monferrato, no dia 14 de maio de 1881. Seus restos mortais são venerados na Basílica de Maria Auxiliadora, em Turim. Foi beatificada em 20 de novembro de 1938 e canonizada em 24 de junho de 1951.

ISJB com informações SDB